Das esperas que germinam

6.11.14

               Fotografia weheartit.


Demorei tanto tempo a avançar com o blog que o primeiro texto só podia ser sobre filas de espera. Porque foi exactamente isso que aconteceu; o blog esteve em fila de espera até hoje. E o mais estranho é que ele esteve em fila de espera sem ter alguém à frente. Conhecem? É aquela sensação de que devemos esperar por uma maré mais vantajosa mas não sabemos precisamente porquê.
Embora o número do ticket fosse singular e rápido de alcançar, aqui a senhora “que trata dos papéis” demorou a preencher as alíneas. Ia passeando de um lado para o outro com os papéis na mão, encarando-vos aí sentados na sala de espera. Uns quietinhos, outros impacientes, uns confusos, outros mais dedicados a coisas que também parecem importantes. Até quase que vos estou a imaginar naquele desconforto característico de quem está sentado na sala de espera: uns olhares meio-discretos, uns risinhos cúmplices que normalmente de cúmplices pouco têm; mil movimentos irrequietos com a perna direita, mais vinte mexidelas no cabelo e meia hora dedicada ao telemóvel com o polegar a criar sujidade no visor. Esperar é indelicado, não é? Impaciente. Descontrolado! 

Deduzo que a espera do blog tenha sido mais ou menos como a nossa. Dois títulos desertos por pular para a frontpage, alguns contactos com os vizinhos, dois ou três templates fracassados e, guess what…? o html deu-lhe vida.

E se era para nascer, que fosse em Novembro como ali a lady da fotografia pequena da coluna da direita; sim, a que há-de assinar com o nome completo alinhado à direita quando decidir que chega de escrever disparates sobre esperar! Já não falta tudo.

As Letras virão com certeza à baila e as Gavetas, claro, para irmos abrindo até se ver o fundo de madeira. Quanto ao desenho ali de cima, claro, é da autoria da senhora dona minha mãe, pois a filha não deve muito a essa arte. E que lindo que está, não concordam?

Seis de Novembro, clima mais invernoso do que outoniço, Arial 11 e algumas ideias prontas para saltar da caixinha. – é este o registo que deixo hoje, na esperança de que possa vir a ser valioso num futuro próximo ou longínquo. Ah! E estou de mãos frias, mas entusiasmada por desarrumar ideias convosco.



                Daniela Carreira Peralta 

Também vais gostar:

10 comentários

  1. a ilustração é da tua mãe? quem diria que a Prof. Susana era tão talentosa com os lápis, estou fascinada! :D
    beijinhos e boa sorte com este teu novo projeto!
    blog eighteen and a life

    ResponderEliminar
  2. Ela é cheia de dotes, Sara! Já te mostro a capa do meu relatório de estágio :)
    Obrigada e cá estamos para ficar! Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Sucesso é aquilo que te desejo! Beijocas! :)

    ResponderEliminar
  4. Ai estou tão contente :)
    Espero que este novo projecto te traga muitos sorrisos!
    Eu pelo menos sei que vou andar constantemente por cá...
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico feliz por saber que há pessoas que ainda se lembram de outros espaços onde fui feliz :) Beijinhos gigantes, Lisa! E obrigada.

      Eliminar
  5. Fico feliz por teres voltado ao bloggue, gostei do que li . Muito sucesso :b
    Faz o favor de escrever muito :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tentarei fazer o que mandas :) beijinhos!

      Eliminar
  6. Olá Daniela, gostei muito do que li! Agora é continuares a regar e esperar (mais um pouco) que cresça! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cláudia! Fico muito feliz que assim seja :) Beijinhos e obrigada!

      Eliminar

Com tecnologia do Blogger.