Hawking é como sorriso de Verão: inspira

17.1.15




Fascinada. Talvez haja palavras mais bonitas e mais eficazes para explicar o que estou a sentir, mas dou a mão à palmatória quando digo que não me ocorre uma melhor.

Quando se fala em Stephen Hawking eu tenho sempre aquele pensamento corrido: Big Bang, Universo, matemática e tempo. Depois de hoje, estou preparadíssima para vos dizer que o meu pensamento se tornou muito mais desenvolvido do que apenas uma sequência de cinco ou seis palavras.


Stephen Hawking. O eterno físico que fala através de um computador. Mas se acham que é só, escondam-se de vergonha por isso! Há mentes tão (mas tão) brilhantes que não tomam a mobilidade como uma obrigação. Mentes daquelas que sobrevivem às chuvas densas do Inverno e que, mesmo assim, dão a crer que vivem sempre à sombra do Verão. Felizes. Inspiradas! E é essa a magia que tiro do Hawking. 

Se foi preciso um filme para que relembrar do tamanho desta personalidade? Não totalmente. Mas uma ilustração da realidade traz uma maior noção das coisas. Às vezes o que dizem – o que nos ensinam – não chega; precisamos de ver e de sentir.

Sentir é a palavra de ordem para quem decidir passar um par de horas em frente ao ecrã a ver The Theory of Everything. A biografia, os intensos protagonistas e os planos captados são, sem dúvida nenhuma, de grande qualidade. Dá para sentir tudo. Dá para viver a história de uma forma enternecedora a ponto de o sorriso constante de Hawking (Eddie Redmayne) nos contagiar até os créditos finais rolarem.

Há tantas lições para retirar da vida deste Homem que eu vou cair na ousadia de dizer que todos deviam assistir a este filme a determinada altura das suas vidas. Principalmente porque é uma história que nos ensina a viver e a querer viver.

«Tem de haver algo de muito especial sobre as condições dos limites do Universo. E o que é que pode ser mais especial do que não haver quaisquer limites? Não deveria de haver limites para o esforço humano. Somos todos diferentes. Por muito má que a vida possa parecer, há sempre algo que podemos fazer e ser bem-sucedidos a fazê-lo. Enquanto houver vida, há esperança.»

Gostei tanto que me apetece ver já uma segunda vez. Experimentem!


Daniela Carreira Peralta

Também vais gostar:

10 comentários

  1. Olá Daniela!
    Gostei imenso do teu blog, já estou a seguí-lo.
    Quero tanto de ver este filme!
    Beijinhos,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És muito bem-vinda, Flor :) Obrigada!
      Certamente que vais adorar o filme.

      Um beijinho

      Eliminar
  2. Acabei agora mesmo de ver o filme.
    Está magnífico! Toca-nos de uma forma inexplicável :))
    Ainda estive indecisa em ver agora ou esperar para ver no cinema, mas não aguentei ahah foi mais forte do que eu!
    Beijinhos,
    Lisa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que tomaste a decisão certa, Lisa! :) Bom Domingo,

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Idntifiquei-me muito com a frase. Pdemos todos fazer a diferença

    ResponderEliminar
  4. É um filme que está na minha lista!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quanto mais tempo demorares a ver, mais te vais arrepender eheh!

      Eliminar
  5. Hello sweetie, I want to invite you to join my giveaway, you can win a lovely necklace! :) I hope you join and I hope you win, good luck! By the way Love this post!

    PS: I follow back

    Fashion gets Fierce Giveaway.

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.