Para onde vão as histórias dos sapatos quando nos cansamos deles?

19.4.15

Imagem pinterest.

Sábado de manhã, a correria habitual no supermercado. A fila para utilizar o multibanco, as velhotas de volta das flores no espaço da florista. Miúdos a fazer birra, carrinhos cheios, outros meios. Mas pessoas. Muitas pessoas. À saída – ou à entrada -, o balcão do sapateiro. Olho de raspão e vejo pilhas e pilhas de sapatos. Páro. Acho fora do normal! Uns por cima dos outros, organizados. Uma fila, depois outra fila. Depois outra fila por cima dessas porque o espaço não é maior. É preciso deixar tudo dentro daquelas linhas porque o espaço é limitado. Mas cabe. Vai cabendo.

Quando páro, é apenas por breves segundos. Mas o pensamento acompanha-me “o que acontece aos sapatos?” e que histórias eles contam? Afinal de contas, andam connosco por todo o lado. Levam-nos. E nós nem com eles falamos. Como também não falamos com o casaco que nos protege do frio. Nem com o chapéu-de-sol que nos esconde do calor. Seremos mal-agradecidos? Bem, talvez não. Eles também não responderiam de volta.

Mas acompanham-nos por todo o lado. De manhã, estão lá na prateleira, todos juntos e alinhados. Esperam que decidamos quais levamos connosco para mais um dia. Conhecem-nos o dedo indicador que ajuda a calçar, junto ao calcanhar. Conhecem o tapete de entrada em que sempre tropeçamos. Estão connosco.

E quando já não os queremos mais? E quando deixam de estar em condições saudáveis para nos acompanhar por dias inteiros, o que lhes acontece? Ficam no armário esquecidos? Vão para o lixo? Transformam-se noutra coisa útil qualquer? E as histórias que eles contam sobre nós? Sobre a nossa rotina, a nossa vida?

Também há os que ficam esquecidos lá nas filas empilhadas do sapateiro. É disso que me lembro durante os segundos em que páro no supermercado. Grande parte daqueles sapatos vão ficar ali durante meses porque os donos se esquecem deles. E esta metáfora pode descrever tantas outras situações do nosso dia-a-dia! O descuidado. A despreocupação. O desprezo pelas coisas importantes e pelas insignificantes. Mas os sapatos, amigos, os sapatos vão connosco para todo o lado. Não os esqueçamos - que eles contam a nossa história.


Daniela Carreira Peralta

Também vais gostar:

8 comentários

  1. Este post deixou-me, realmente, a pensar!!!
    Beijinhos***

    ResponderEliminar
  2. Lovely shoes and very nice blog! If you maybe want to follow each other, please let me know on my blog :)
    Besos
    http://bambolai.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Gostei da reflexão! Eu confesso que não consigo desfazer-me dos meus sapatos por mais velhos que estejam. Mesmo sendo inúteis, sinto que devem ser apreciados pela vida que tiveram :)

    Isa,
    http://isamirtilo.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Muito obrigado :')

    Para além de o texto estar extremamente bem escrito, é algo que dá que pensar :)
    Não conhecia, de todo, o teu blog. No entanto, e como gostei bastante, comecei a seguir. Caso queiras faz o mesmo de volta! :D

    Um beijinho e continua*
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  5. Dá que pensar. Realmente o texto está muito bom!
    Não conhecia o teu blog mas tenho a certeza que vai ser um cantinho que me vai surpreeender!

    ResponderEliminar
  6. linda, te invito a ver mi blog http://naty-rafaela.blogspot.com/ y visitar los links del post, te lo agradecería muchísimo, pues me estarías ayudando jaja ? saludos!!

    ResponderEliminar
  7. Bem...deixaste-me a pensar!

    Um beijinho

    http://agatadesaltosaltos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.