Experimentei o Tinder e saí sem encontros

15.5.15


Foi há uns meses que uma amiga me falou do Tinder. Na altura eu não fazia ideia em que consistia a app mas rapidamente me informei. E agora conto-vos: dizem que é uma aplicação de encontros. “Dizem”, sublinho eu. Conectamo-nos com o perfil do Facebook e rapidamente o nosso nome e idade aparecem no Tinder em conjunto com algumas fotografias. Podemos escrever algo sobre nós na descrição: “não gosto de arroz”, escrevi.

E depois é só acedermos ao quase catálogo virtual de pessoas, clicar no coração se tivermos gostado da pinta da outra pessoa ou no X se não lhe tivermos achado piada. Enquanto isso, vão aparecendo assinalados os nossos interesses em comum e os amigos que temos em comum. Quando a pessoa também gosta de nós, o match concretiza-se e podemos falar num chat qb simples e lento.

Não usei a app como algo que me proporcionasse encontros com desconhecidos porque, vá lá, vamos ser realistas… Mas acontece que eu gosto de falar pelos cotovelos. E gosto de observar. De tirar conclusões. Imaginam como correu?

Fui 'descombinada' (unmatch) por alguns machos porque lhes feri o orgulho ao não me querer encontrar com eles. Li erros ortográficos de todas as origens e feitios. Respondi à pergunta “porque não gostas de arroz?” vezes mil até me cansar. Inventei respostas giras. Cansei-me das respostas giras. Encontrei pessoas interessantes que andavam lá perdidas. Cruzei-me virtualmente com pessoas que estavam ali apenas para encontrar companhia para o jantar daquela noite. Os famosos comprometidos que não se importam de deixar as namoradas esquecidas por uns momentos também lá andam, não pensem que não! Até há quem pague pela versão premium da app, na verdade.

Depois a app deixou de ter piada. As pessoas tornam-se repetitivas. Tornam-se reles. Quebram as linhas do aceitável com facilidade. Mudei de país uns tempos depois e decidi experimentar novamente a aplicação.

Mudou tudo. Olá às pessoas educadas, olá aos estrangeiros pelo mundo que têm algo para contar. Será um problema da humanidade ou só de determinadas sociedades?


Não sei. Agora quero é experimentar o The League assim que ele estiver disponível para android. O que está a dar é encontrar pessoas que combinem com o conteúdo do nosso CV, “diz-se”. "Que parvoíce".


Daniela Carreira Peralta 

Também vais gostar:

2 comentários

  1. Vê o lado bom da coisa: podes não ter tido encontros, mas também não ficaste sem um rim. ;) Também já lá andei e nunca tive um "match" com alguém que considerasse minimamente interessante..

    ResponderEliminar
  2. After reading this brilliant blog I recently couldn't leave without saying thank you from the base of my heart! BBW dating sites and app

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.